cortejo do maracatu palmeira imperial marca o encerramento da flip

19451662741_bb1af5f43f_b@ andre conti

O grupo, que há oito anos representa uma importante forma de expressão da cultura popular do país, atraiu um grande número de pessoas ao passar pelas ruas de Paraty no encerramento da Flip

por Alexandre Pimentel

O Maracatu Palmeira Imperial, que realiza um trabalho com oficinas de formação e mantém fortes laços com sua matriz em Pernambuco – a Nação Porto Rico – foi escolhido por representar uma tradição registrada no Nordeste brasileiro, parte do roteiro por onde passou a Missão de Pesquisas Folclóricas de 1938, organizada por Mário de Andrade, autor homenageado desta edição da Flip.

O cortejo partiu da Praça da Santa Casa (na saída da Tenda dos autores) após a mesa Livro de Cabeceira. Um grande número de pessoas acompanhou o trajeto, que incluiu uma parada em frente à igreja do Rosário (dedicada a Nossa Senhora do Rosário e a São Benedito, destinava-se aos pretos escravos, e sua construção iniciou-se em 1725) onde os integrantes fizeram uma louvação aos santos e orixás.

Seguiu então para o Largo de Santa Rita, onde permaneceu encantando quem o acompanhava. Foi um belíssimo encerramento, um momento de homenagem a Mário de Andrade e de reconhecimento do Maracatu Palmeira Imperial como um legítimo representante de um patrimônio brasileiro na cidade de Paraty.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.