em cada pedra, uma memória

expo_site@ thalita aguiar

 

Museu do Território de Paraty inaugurou nesta quinta-feira (4) a exposição Histórias e Ofícios do Território, com depoimentos de moradores antigos da cidade

“Eu ia ao Rio, me diziam ‘e você, de onde é?’, eu dizia, ‘de Paraty’. Ninguém sabia onde era”, diz o comerciante Toninho Pinto. “Eu fazia as compras com ovos de galinhas que eu levava pra cidade”, diz o agricultor Orlando Callegario. “A criançada era dona do Centro Histórico, uns 30 meninos e meninas juntos. Nós vivíamos na natureza perfeita”, diz o comendador Antonio Conti.

Esses e outros depoimentos – que poderiam facilmente ser confundidos com trechos de cativantes histórias de Jorge Amado ou Guimarães Rosa – inauguraram na última quinta-feira (4) a exposição Histórias e Ofícios do Território, com registros em vídeo de moradores antigos de Paraty.

A cerimônia de abertura se deu às 17h, no antigo cinema da cidade, rebatizado de Espaço Experimental de Cultura – Cinema da Praça, onde foram servidas comidas típicas, como tapioca e bolo de banana, e o tradicional café caiçara. O evento faz parte da primeira ação pública do Museu do Território de Paraty, museu virtual cujo acervo poderá englobar os mais variados aspectos do patrimônio material e imaterial de Paraty. Completam a ação uma jornada de debates na Casa da Cultura, entre 4 e 6 de dezembro, sobre os ofícios tradicionais de Paraty, e uma série de placas comemorativas espalhadas pela cidade, com frases de moradores antigos – três exemplos delas estão expostos no cinema.

“O turismo pode ser bom, mas tem um lado perverso, que atropela. A missão do Museu do Território é pesquisar, documentar, interpretar e comunicar, num processo compartilhado, essa riqueza que Paraty tem”, disse, na abertura, Mauro Munhoz, diretor-presidente da Associação Casa Azul.

“É com muita emoção que abrimos essa belíssima exposição, com depoimentos tão singelos, lindos e profundos, e que pegam fundo na minha alma. Essas pedras são nossas e é como se conhecêssemos cada uma delas, pois todas têm nossas memórias e emoções. Não só nossas como dos nossos antepassados e dos nossos filhos, netos e bisnetos. Parabéns a todos os detentores dessa memória”, disse, emocionada, Cristina Maseda, secretária de Cultura de Paraty.

“É uma honra ser parte dessa equipe à qual vocês estão confiando seus segredos e lembranças preciosos”, disse o curador Paulo Werneck, convidando os paratienses a compartilhar fotos, documentos, cartas e publicações antigas para ajudar a compor o acervo do museu. “O que é bonito de ver é que, no rosto dos nossos entrevistados, muitos deles já com 80 anos, está o brilho no olho. Que também está nas gerações seguintes”, finalizou.

A exposição Histórias e Ofícios do Território fica em cartaz até março de 2015. O Museu do Território de Paraty é uma realização da Associação Casa Azul e do Ministério da Cultura, com patrocínio do BNDES.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.